Aumentar Tamanho do Texto Tamanho do Texto Selecionado
HOME
Clique em um dos links abaixo
DESENVOLVIMENTO DA VISÃO
CONJUNTIVITES
ALERGIAS
TOXOPLASMOSE
RETINOBLASTOMA
DOENÇAS INFECCIOSAS
AMBLIOPIA
CATARATA CONGÊNITA
GLAUCOMA CONGÊNITO
VISãO SUBNORMAL - VOCÊ ESTÁ AQUI
MÁ-FORMAÇÕES
LACRIMEJAMENTO
Clique em um dos links abaixo
PRINCIPAIS PROBLEMAS
RETINOPATIA DA PREMATURIDADE
EXAMES OCULARES
CIRURGIAS OCULARES
NOTÍCIAS
ARTIGOS
APRESENTAÇÃO A MÉDICA FALE CONOSCO ACESSO
Visão Subnormal

Auxílios ópticos e não ópticos na visão subnormal

Os aparelhos que auxiliam o portador de visão subnormal são definidos em duas categorias gerais: auxílios ópticos e auxílios não-ópticos. Não há aparelho único que proporcione uma visão normal em todas as circunstâncias.

Na realidade, a criança pode necessitar de diferentes aparelhos em suas diferentes fases e para diferentes propósitos. É importante avaliar a real necessidade do uso e consultar os especialistas antes de investir na compra de um aparelho. Em nossos serviços há uma equipe multidisciplinar especializada no acompanhamento de pessoas com visão subnormal que poderá auxiliar quanto aos melhores auxílios para o seu caso. Consulte-nos

Crianças na fase pré-escolar ou escolar, que nunca tiveram contato com auxílios ópticos devem, antes de tudo, ser avaliadas pelo oftalmologista, pediatra e neurologista para que se saiba quais comprometimentos estão associados à visão subnormal (surdez, baixo desenvolvimento neuropsicomotor e outros).

Em bebês, existe toda uma fase inicial precoce de estimulação visual para que a criança aprenda a utilizar seu potencial visual residual antes de utilizar os auxílios ópticos.

Auxílios ópticos
Usualmente são lentes ou combinações de lentes de aumento. Elas não devem ser confundidas com óculos comuns. Existem cinco tipos de auxílios ópticos:


Óculos de aumento
Possuem lentes mais fortes que os óculos comuns, especialmente desenvolvidas para o portador de visão subnormal. Exigem que o material de leitura seja segurado bem perto.
Principal uso: em trabalhos que exigem visão aproximada, como leitura de um livro.
Principal vantagem: deixam as mãos livres para segurar ou manipular qualquer material.





Lupas manuais
Principal vantagem: permitem que a pessoa segure o material impresso numa distância normal.





Lupas de apoio
Ficam apoiadas sobre o objeto a ser enxergado e são utilizadas em conjunto com óculos de correção para perto. Algumas lupas têm fonte de iluminação própria.

Telelupas
São utilizadas para aumentar a imagem a distância. Elas podem ser seguradas com as mãos ou nos próprios óculos.
Principal vantagem: auxiliam a criança a enxergar no quadro negro, por exemplo.

Circuito fechado de televisão
Produz uma imagem aumentada na tela da televisão, com aumento de contraste regulável.
Principal vantagem: mais fácil e menos cansativo de ser utilizado em relação aos outros aparelhos.
Investimento: o custo é mais elevado em relação aos outros aparelhos.

Auxílios Não Ópticos
A técnica mais simples é a aproximação máxima dos olhos no objeto a ser visto. Para assistir à televisão, por exemplo, a pessoa com visão subnormal pode ficar a 39 cm do aparelho sem danos aos olhos, o que contraria algumas crenças.

Existem ainda impressos, aparelhos e equipamentos dirigidos a pessoas com visão subnormal, como os seguintes:

-livros, jornais e revistas com letras maiores
-guias para preencher cheques e cartas de baralho de tamanho grande
-teclados de telefone maiores
-visor de relógio com alto contraste
-aparelhos com voz mecanizada (relógios, computadores)
-aparelhos que copiam página e lêem em voz alta.


Imprimir  


O conteúdo deste site tem fins informativos e não pretende
substituir a consulta ou tratamento oftalmológico
Política Copyright Sitemap Sintonia Comunicação