Aumentar Tamanho do Texto Tamanho do Texto Selecionado
HOME
Clique em um dos links abaixo
DESENVOLVIMENTO DA VISÃO
CONJUNTIVITES - VOCÊ ESTÁ AQUI
ALERGIAS
TOXOPLASMOSE
RETINOBLASTOMA
DOENÇAS INFECCIOSAS
AMBLIOPIA
CATARATA CONGÊNITA
GLAUCOMA CONGÊNITO
VISÃO SUBNORMAL
MÁ-FORMAÇÕES
LACRIMEJAMENTO
Clique em um dos links abaixo
PRINCIPAIS PROBLEMAS
RETINOPATIA DA PREMATURIDADE
EXAMES OCULARES
CIRURGIAS OCULARES
NOTÍCIAS
ARTIGOS
APRESENTAÇÃO A MÉDICA FALE CONOSCO ACESSO
Conjuntivites

Blefarite ou conjuntivite: a importância do diagnóstico certo

A blefarite é uma inflamação constante das pálpebras, que pode estar associada à conjuntivite com comprometimento, ou não, da córnea (lesões finas e puntiformes chamadas ceratite punctata). A blefarite também pode se manifestar com inflamações das glândulas palpebrais, dando lugar à presença de calázios ou meibomites que são tumorações inflamatórias das pálpebras (popularmente conhecidas como viúvos).

Nas crianças com blefarite geralmente notamos cílios quebradiços e curtos, bordas palpebrais edemaciadas (inchadas) avermelhadas, seborréia ou caspas presas nos cílios. Na presença destes achados os pais ou cuidadores da criança devem levá-la ao oftalmologista. Muitas vezes os exames revelam graus altos (astigmatismos), diagnóstico de Rosácea (principalmente quando se trata de criança de cor clara) ou até manifestação de HIV.

Cabe ao médico oftalmologista avaliar as possíveis causas da blefarite, mas existem alguns cuidados que, levados a sério, podem evitar muitas complicações relacionadas à doença. O tratamento com rigorosa higienização dos cílios pode evitar o aparecimento de blefaroconjuntivite (inflamação concomitante das pálpebras e da conjuntiva) ou ceratite (inflamação da córnea). É importante saber que quando estas manifestações mais graves se repetem podem comprometer a visão.

Como se procede esta limpeza?

Normalmente nas fases agudas pede-se para fazer a limpeza com água fervida morna, xampu neutro de criança e gaze.

- Com o dedo envolvido na gaze umedecida com água e uma gotinha de xampu esfrega-se bem rente à raiz dos cílios.

- No período agudo deve-se fazer a higienização todos os dias.

- Quando o quadro melhorar deve-se continuar com esta limpeza três vezes por semana (sempre).

Muitos esquecem o tratamento, que é simples, logo que obtêm alguma melhora. Quando o quadro de sintomas recidiva o médico se vê obrigado a entrar com medicação sistêmica (antibióticos).

Medidas simples como expomos acima podem assegurar um olho calmo, sem complicações, mesmo que com grande tendência à blefarite. Sabemos disso porque nos casos mais complicados, quando percebemos dificuldade dos cuidadores fazerem a higienização, nós a fazemos no nosso setor de pequenos procedimentos e notamos franca melhora.


Imprimir  


O conteúdo deste site tem fins informativos e não pretende
substituir a consulta ou tratamento oftalmológico
Política Copyright Sitemap Sintonia Comunicação